segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Para guardar num cofre forte
















segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Mulheres sensacionais

















sábado, 26 de agosto de 2017

Conheça Serra (ES)

Serra é o mais populoso município do estado do Espirito Santo, com 494.109 habitantes . Pertence à Região Metropolitana de Vitória e está situado 27 quilômetros ao norte da capital do Estado. A sede do município, porém, está mais afastada, ao norte do Monte Mestre Álvaro, grande maciço de origem vulcânica que marca a geografia do município.

Outro ponto importante é a Praia de Jacaraípe, conhecida como sede de campeonatos de surfe, assim como pequenas vilas pesqueiras como Manguinhos. Já na localidade de Nova Almeida, balneário no litoral norte do município, encontra-se, na antiga Igreja dos Reis Magos, o primeiro quadro a óleo pintado no Brasil. Tem ainda outro balneário, a praia de Carapebus.

O comércio varejista do município tem maior destaque no bairro Parque Residencial Laranjeiras, que tem o Shopping Laranjeiras, bem como a Avenida Central, a Primeira Avenida e a Segunda Avenida como pontos de destaque no comércio.

Seus fundadores foram Maracajá-guaçu (nome que, traduzido do tupi, significa grande gato-maracajá), pai de Arariboia e chefe dos índios temiminós e o padre jesuíta Brás Lourenço, que, a 8 de dezembro de 1603, terminaram a obra da igreja e, assim, fundaram a Aldeia de Nossa Senhora da Conceição da Serra, hoje a cidade da Serra.

A Aldeia de Nossa Senhora da Conceição da Serra foi elevada a freguesia por carta régia de 24 de maio de 1752 mas foi somente instalada em 1769, depois de construída a igreja nova matriz, que tinha, por filial, a Ermida de São José. A então Freguesia de Nossa Senhora da Conceição da Serra foi elevada à categoria de vila em 1822.

O município da Serra foi criado em 1833, com território desmembra­do do município de Vitória, através da resolução do Conselho de Governo de 2 de abril de 1833 e instalado em 19 de agosto daquele ano.

Em 19 de março de 1849, foi deflagrado um movimento de libertação dos escravos em São José do Queimado (atualmente, um distrito da Serra), que foi desmobilizado pela força militar da época e que levou a enforcamento dois dos líderes da revolta: Chico Prego e João da Viúva. O primeiro, enforcado na então Vila de Nossa Senhora da Conceição da Serra e o segundo, enforcado na Vila de São José do Queimado.


Em 6 de novembro de 1870, a sede do município foi elevada à categoria de cidade. A instalação foi solene, com festa organizada pelo deputado provincial Major Joaquim Pereira Franco Pissarra e políticos locais no dia do aniversário de Dom Pedro II - 31 de dezembro de 1875. O major Pissarra foi o autor da lei que transformou a vila da Serra em cidade.


Morro do Vilante (Foto: Portal Férias)


Igreja histórica no centro da cidade. (Foto: Cidade Brasil)

Jardim Botânico. (Foto: Cidade Brasil)

Cemitério de Serra (Foto: Cidade Brasil)


Estrada para Monte Mestre Álvaro (Foto: Cidade Brasil)

Monte Mestre Álvaro (Foto: Cidade Brasil)

Monte Mestre Álvaro (Foto: Cidade Brasil)


Estátua em homenagem a Chico Prego (Foto: Cidade Brasil)

Viaduto (Foto: Cidade Brasil)

Igreja Nossa Senhora da Conceição. (Foto: Cidade Brasil)

Vista da cidade (Foto: Cidade Brasil)

Praia de Bicanga. (Foto: Portal Férias)

Cachoeira do Mestre Álvaro (Foto: Portal Férias)

Estrada rural. (Foto: Portal Férias)

Praça e Igreja (Foto: Portal Férias)

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Conheça São José do Norte-RS


Fotos: João Pé na Bola (João Waldir Roig Nascimento)

Histórico do município

São José do Norte foi primitivamente habitada pelos índios Carijós, Charruas e Minuanos, mas a consolidação de seu povoamento se deu com a chegada dos açorianos, que se dedicavam ao cultivo da terra.

Em 25 de outubro de 1831, ocorreu a emancipação do Município e a criação da vila de São José do Norte, onde, em 16 de julho de 1840, travou-se a mais sangrenta batalha da Revolução Farroupilha, comandada pelo general Bento Gonçalves.

Pelo desempenho da guarnição local na luta contra os Farrapos, em 31 de julho de 1841, D. Pedro II agraciou à terra de povo bravo e acolhedor que o hospedou com o honroso título de “Mui Heróica Villa”, a qual em 31 de março de 1938 foi elevada à categoria de cidade.

Além de ser bonita por natureza, São José do Norte é, indiscutivelmente, abençoada por Deus, por propiciar condições naturais para uma forte atração de investimentos diversos e muitas alternativas estratégicas para o desenvolvimento.

A matriz econômica do Município ainda se baseia no setor primário, com destaque para as cadeias produtivas vinculadas à pesca e ao agronegócio, focado na pecuária e na produção agrícola.

São José do Norte é reconhecida pelo cultivo de arroz e, principalmente, pela cebolicultura. O Município recebeu o título de Capital Nacional da Cebola por ter sido considerado o maior produtor do bulbo no País.

Nas últimas décadas, anteriormente ao surgimento do polo naval, a instalação de empresas especializadas na extração de resina, corte e beneficiamento da madeira oriunda das extensas áreas de florestas de Pinus potencializou o mercado de trabalho e a economia nortense.